• Pref Marechal Thaumaturgo

Dos 22 municípios do Acre, Jordão, Santa Rosa do Purus e Marechal Thaumaturgo pagam os maiores abono


Depois da reformulação da nova lei do FNDEB – Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica, que ampliou de 60 para 70% de gastos para valorização profissional do setor, as prefeituras e governos passam a ter mais fôlego para apoiar e valorizar a categoria. No Acre os trabalhadores em educação estão eufóricos e não era para menos, pois com milhões em sobra os prefeitos e o governador do estado anunciaram bônus para toda categoria. As prefeituras estão pagando entre 7 e 20 mil para cada professor, sendo que na maioria dos municípios os servidores administrativos e apoio também estão sendo contemplados.


O Exemplo de como valorizar bem o profissional da educação básica vem de três dos mais isolados municípios do estado. Marechal Thaumaturgo, Jordão e Santa Rosa do Purus.


O prefeito de Santa Rosa Tamir de Sá – MDB, anunciou pagamento de R$20 mil em abono para cada professor da rede municipal de ensino. Os valores ajudarão aquecer a economia local e dará mais ânimo aos professores que tiveram um ano difícil diante do quadro da pandemia do Covid-19.


Jordão é outra cidade que anuncia pagamento que variam entre 7 a 20 mil para os trabalhadores em educação. O prefeito Naldo Ribeiro – PDT, destacou a importância de valorizar os profissionais que ajudam a construir o desenvolvimento da cidade; através do conhecimento.


Marechal Thaumaturgo, única cidade acreana administrada por um indígena é a cidade que paga o maior salário para professor no Acre. O prefeito Isaac Piyãko (PSD), trata a educação como uma das bandeiras do sucesso de sua administração.


Sendo o primeiro prefeito anunciar pagamento de abono no estado, o cronograma começou a ser executado em agosto, quando os professores receberam a primeira parcela de R$2.230 em cima do salário, reforçado com mais cinco mil em novembro e dezembro, somando no final quase R$17 mil para cada professor.


No estado, o governador Gladson Cameli (PP) enfim desenrolou o imbróglio do pagamento dos servidores estaduais, que receberão entre 10 e 14 mil cada um.


Por Francisco Panthyo

Jornal 3 de julho noticias

0 comentário